25 de maio de 2009

A língua portuguesa anda pelas ruas da amargura

Devo informar que o raio da imagem me deu uma trabalheira a encontrar, além de ter sido uma tarefa bastante constrangedora. 
Nesta minha árdua tarefa encontrei  também algures um conceito  bastante interessante sobre palavrões, é qualquer coisa do género "Os palavrões não nasceram por acaso. São recursos válidos e criativos para prover o nosso vocabulário de expressões que traduzem com maior fidelidade os nossos mais fortes e genuínos sentimentos. É o povo fazendo a sua língua."
Desenganem-se amigos! Este sítio não se tornou na "casa da Joana" (que me desculpem as Joanas deste país), continua a ser um local recatado e que pode ser frequentado por boas famílias em passeios domingueiros.
Pois toda esta bandalheira deve-se tão só ao facto, consumado esta tarde, de que fui mandada para um sítio longínquo por um aluno. 
Não é meu aluno e nem o conhecia (fiquei a conhecer). Tudo se passou depois de uma troca de palavras educada em frente a uma turma inteira. O puto, talvez com uns 14 anos, ainda no 5ºano, problemático e muitoooooooo mal educado, após a interrupção de uma aula minha não gostou da proposta que lhe fiz, de que o assunto em questão seria tratado mais tarde e presenteou-me com um "Vanha pó car*lho!"
Fiquei sem palavras, completamente atordoada, não é todos os dias que somos presenteados com esta forma forte e genuína de expressar sentimentos.
O que me lixou mesmo, mesmo? Então os professores de Língua Portuguesa não ensinaram este gajo a falar? VANHA??????? Mas que merda é esta!?
Ainda se fosse um sonante "Vá pró car*lho!"
(NOTA de rodapé: Não posso levar tudo muito a sério senão fico como a outra...)

21 comentários:

LBJ disse...

Stôra... Então nem sequer temos direito a um palavrão sem censura!???? Hã porquê? E a pedagogia? Onde fica? Eu agora fiquei na duvida de como é que aquilo se escreve e de certaza que me vai fazer falta um destes dias... :)

Beijo

Pronúncia disse...

Anocas, aproveitavas e davas uma lição ao imberbe.

Segundo a Academia Portuguesa de Letras, a palavra caralho designava a pequena cesta que se encontrava no alto dos mastros das caravelas, também conhecida como gávea. Era dali que os vigias perscrutavam o horizonte em busca de sinais de terra. Dada a sua situação, o caralho era um lugar muito instável pois era onde se manifestava com maior intensidade a oscilação e o rolamento lateral da embarcação.

Havia de ser bonito de se ver e de se ouvir e sempre aumentavas a cultura geral da pobre criatura :D

Princesa (des)Encantada disse...

Ana,
Isto há cada uma... Hoje estive eu própria quase a gritar uns palavrões, mas juro que sem erros de português.
Adorei o contributo da Pronúnicia que dará muito jeito quando o meu miúdo evoluir o seu conceito de palavrão (que agora se resume a "cocó" e "puto")... Mãe sofre e, obviamente, professora também. :S

Ana GG disse...

LBJ

Sou uma mocinha recatada...eheheheh

Aquilo escreve-se mesmo CARALHO e a minha vontade na altura foi mesmo dar um estalo naquela cara de CARALHO do sacana do puto.

Enfim, por hoje chega de ordinarísses.

beijo

Pronúncia disse...

Olha, o puto tinha cara de mastro da gávea... ;)

Hoje a festa é nos tascos... Pronúncia e Cirrus!

Fica o aviso ;)

Ana GG disse...

Pronúncia

Mas que beleza de TPC.

Estou a pensar seriamente se irei procurar aquela pobre criatura para lhe aumentar a cultura geral com o teu contributo ou com qualquer outra designação que me ocorra no momento.
;)

Pronúncia disse...

Eu era uma aluna muito aplicadinha!

Só descambei na universidade... ;)

Vá-se lá saber porquê ;)

Ana GG disse...

Princesa

Palavrões devem ser gritados sempre, mais que não seja com gritos mudos. Agora "vanhas"!? Porra!!!!!!

Vais aproveitando os "cocós, putos, pilas" e afins porque depois é sempre a abrir.

Mãe, professora sofre em dose dupla!
;D

Ana GG disse...

Pronúncia
Só agora li o aviso das festas. Adormeci cedo. As tuas festas são muito intimistas, da última vez que lá cheguei e falei em "festa" iam-me comendo viva. Agora limito-me a vê-las da janela (mais vale prevenir que remediar).
;)

Sempre foste uma aluna muito aplicadinha!? Eu sempre fui meio destrambelhada, dava cabo da paciência aos professores mas lá ia tendo boas notas.

rosebud disse...

Ana

Um desses escreveu no quadro cona do açucar.A espectativa da turma ficou no auge!Vai daí,olha,saiu-me:Tu não tens vergonha,com a tua idade ,em vez de cana escreves cona?!Instalou-se um silêncio absoluto.E ele emendou.
Ainda hoje penso no risco que corri.

Ana GG disse...

rosebud

Foi a melhor resposta que poderias ter dado.
Vale sempre a pena corrermos riscos...

Pronúncia disse...

Anocas:

Intimistas?! Quem é que se atreveu a quase "comer-te viva"?! Tu diz-me quem foi, que eu não o(a) deixo mais participar em nenhuma festa... tu és sempre uma convidada especial com direito a tratamento VIP ;)

redjan disse...

VANHA ??? Mas o imberbe nem ' le pôz um 'i'... ' ?

Assim ao jeito de ' VAINHA ' ?? Já que é padácabo ... é padácabo ... carailho !

Bjosssssssss GG

Ana GG disse...

Pronúncia

Ai mulher, que trágica me saiste. Estava a brincar, assim uma daquelas brincadeirinhas meio a brincar meio a sério).

Uma noite destas logo faço nova tentativa.
;)

Ana GG disse...

Red

Foi mesmo um VANHA, assim, nu e cru!

O sacana deu-me foi uma vontade de rir medonha e agora vai 2 ou 3 para casa com suspenção e plano de estudos para ver se aprende as regras básicas do português, porque as da boa educação não me parece.

Pronúncia disse...

TRÁGICA?! EU?!

Oh, melher! O meu nome do meio é COMÉDIA.... :D

forteifeio disse...

Ana GG

Não tenhas pena do puto, ele que se aguente à bomboca e dobre a lingua.
Da próxima vai aprender.

E calma, fizeste tudo muito bem.

Mas adorei a resposta da rosebud, 20 valores. espectáculo.

Ana GG disse...

Pronúncia

Ó melherrrrrrrr!!!!!!
Baralhei-me com os apelidos.

;P

Ana GG disse...

Forte

É que não tenho mesmo pena, pode ser que o obrigue a ponderar um bocado e não volte a repetir a proeza (o que duvido).

A atitude da rosebud foi a melhor que poderia ter tido.

Silvia F. disse...

Ai Ana, por pouco pensei que tivesse ido parar a uma sex shop online, isso é lá imagem que se apresente? ;P

Como te compreendo, já que é para mandar para esse sítio ao menos que o façam correctamente, raio do puto!
Então e o que é que se sucedeu a seguir? É por isso que nunca quis ser professora, não tenho vocação nenhuma para isso, era logo à batatada!

Haja boa disposição! :)

Beijinhos

Ana GG disse...

Silvia

Uma sex shop online com artigos tradicionais, eheheheh.

A seguir o puto bazou e eu continuei a aula porque estava a fazer revisões para a prova global da aula seguinte. Depois participei por escrito e aguardo a possível suspensão da criatura.

Se andasse à batatada cada vez que tenho que engolir sapos na escola, ui, ui! O curioso é que estes episódios tristes nunca são com alunos meus.

No meio da desgraceira só me resta levar isto com algum humor.
beijinho


obrigada pela visita!

pessoal que gosta de estar a par destas andanças

facebokiANOS a par desta coisa