4 de outubro de 2009

Desabafos de uma professora à beira de um ataque de nervos



Desaconselho vivamente todos os jovens que ainda têm o sonho, a visão ingénua, de que ser-se professor é abraçar uma vocação, é sentir o prazer de ensinar e ser-se ensinado. Actualmente, essa visão colorida não passa de pura demagogia!

Hoje, para se ser um professor cumpridor, tem de se abdicar quase na totalidade do lado humano da questão, aquele que para mim é essencial e indissociável de tudo o resto. O professor cumpridor tem a papelada muito organizada, escrita numa linguagem por vezes quase imperceptível, segundo as directrizes dos sucessivos ministérios…num mandato usa-se o termo "objectivos", no seguinte "competências", substituem-se termos acessíveis e lógicos por outros pomposos e dúbios, espera-se por novo mandato e nova terminologia e…MERDA! É uma palhaçada pegada que nos rouba tempo útil e nos faz dar voltas à cabeça sem que de facto acreditemos no que estamos a redigir.
Surgem novos cursos…profissionais, CEFs, PIEFs, EFAs e o diabo (nós) que os carregue. Inventam-se disciplinas para as quais temos que esticar a nossa corda, rever matérias, pesquisar temas que desconhecíamos e que dificilmente estaremos verdadeiramente aptos a ensinar. Somos avisados no dia 1 de Setembro, que no dia 15 temos que ensinar conteúdos que nos são, muitas das vezes completamente estranhos e para os quais não estamos verdadeiramente preparados. É a versão economicista da "coisa".
Esta, infelizmente, é a pura da verdade.
Assim vai o sistema educativo, na minha opinião, em prejuízo dos alunos e dos professores.


Um bom professor preparava as suas aulas convenientemente, actualmente esta tarefa reserva-se aos professores com grande capacidade de resistência e que escolham abdicar da sua vida pessoal.
É apenas a minha constatação dos factos, a minha pequenina, grande revolta.


Se gosto de ser professora?
Já gostei muito, actualmente questiono-me quase diariamente se é isto que quero para mim, se é isto que os meus alunos merecem.

Fico muito sentida quando se referem aos professores como sendo uns incapazes que ainda se queixam apesar de todas as regalias que, supostamente, têm. Fico MESMO! Acho uma tremenda injustiça. Consigo desculpar aqueles que por ignorância, desconhecem o dia a dia de um professor. Não desculpo quem o faz confundindo o sistema com a classe. Não desculpo MESMO!

Este ano, por imposição/nomeação, sou da comissão de avaliação. Não gosto de cargos de chefia, não tenho ambições desmedidas…tenho apenas sonhos modestos em que me vejo descalça e despreocupada com as caganças do mundo actual, a trocar o que a vida me ensinou por frutos e sorrisos que me alimentem. Este ano vou fazer o papel do Diabo, vou ser a inimiga.


Sou inteiramente contra este sistema de avaliação! Sou muito a favor de uma avaliação noutros moldes. Sou a favor de que se "premeiem os bons" e se "penalizem os menos bons" em termos de progressão na carreira e para que se possam corrigir os erros de uma forma transparente, à porta aberta. Visando tão só e apenas um ensino com mais qualidade, aquele que os nossos estudantes merecem!

EU, trabalho muitas horas. EU, abdico forçosamente de fazer aquilo que mais prazer me dá. EU, dedico muito menos tempo às minhas obrigações pessoais. EU, estou realmente farta desta...




 MERDA!

14 comentários:

Pronúncia disse...

Anocas, consigo compreender a tua angústia, porque tenho amigos na mesma situação que tu e queixam-se do mesmo... cada vez mais abdicam da vida pessoal em prol da profissional e duvidam que isso seja o mais correcto. No fundo, sentem-se a lutar contra moinhos de vento.

Quanto à questão de fazer o papel de diabo, no que toca a avaliações, já o faço há uns anitos. Nada como encarar a situação normalmente e acima de tudo tentar ser... justa.

Já dei boas notas a pessoas de quem não gosto, mas lhes reconheço o mérito profissional (afinal, não é preciso ir tomar café com elas par reconhecer se são bons ou não profissionalmente, apesar de como seres humanos serem execráveis), também já dei notas menos boas a pessoas excelentes, mas com algumas deficiências em termos profissionais.

O segredo está em explicar-lhes muito bem o porquê das notas... e até hoje, nunca tive problemas a esse nível. Todos acabaram por compreender... pelos menos é o que tenho sentido ao longo dos anos!

Via com calma e sê... justa! :)

Dylan disse...

Pior do que isso, não menosprezando o teu sofrimento, são os professores que nem sequer têm colocação e têm que dar outro rumo à sua vida depois de anos e anos de sacrifícios inglórios.
Tenho um exemplo na família.

Em relação ao sistema de ensino actual concordo plenamente. Trabalhei com pessoas que se reformaram mais cedo da docência para não terem de lidar com isto.

(mas não é razão para novamente dizeres palavrões)

AHAHAHAHAHAH!

rose,muito zangada disse...

Quem ficou sem ar fui eu!

O retrato é mesmo esse,um neo realismo perfeito.

Eu fujo dos ignorantes que não conhecem nada do dia a dia de uma escola,e muito menos da carga de trabalho que um professor carrega para casa durante um ano inteiro.
Mas opinam,olá se opinam.
Gostava de os ver,uma semaninha,só uma semaninha a atender 150 alunos (6 turminhas heterógeneas ),mais tudo o resto,um "environement" no mínimo encantador de papéis estéreis,reuniões sem sentido,horas e horas de pura exaustão.
Estou furiosa,muito furiosa.Pela primeira vez estreei a raiva num comentário que deve estar cheio de erros tal a pressa com que o escrevo.

Solidária.Justa(são características que tenho,graças a Deus )

Força aí Ana,que com tudo isto ,ainda consegues mimar os outros com alegria nos olhos e felicidades nas mãos

catwoman disse...

Concordo contigo, Ana, há já algum tempo que digo aos meus alunos para nunca quererem ser professores é demasiado ingrato, particularmente para aqueles que seguem a profissão por amor, porque era mesmo aquilo que queriam e que sonhavam, torna-se cada vez mais desmotivante. Mas acredito, pela tua indignação, que vais ser justa no teu desempenho, porque é isso que nos habituamos a fazer: dar o nosso melhor, com vista a um sistema de ensino melhor. Não é?

Paulo Lontro disse...

Infelizmente acho que vais continuar a sofrer, não sei se reparaste mas o “homem” foi legitimado há uma semana…
poix…

forteifeio disse...

Muitas das vezes fazemos coisas que não gostamos e ouvimos comentários ridiculos de quem nada sabe do assunto em causa, é assim a vida nem sempre podemos seleccionar as pessoas e as tais competências da nossa profissão.
beijinho

e tem calma

Ana GG disse...

Pronúncia
É isso precisamente. Não sinto que esta "dedicação imposta", seja justa. Sinto que acabo por descurar o que realmente é importante, que é a minha família, a minha sanidade mental e até os meus alunos.

Claro que se tiver que avaliar um colega vou tentar ser justa. Isso nem se põe em causa. Mas além de não gostar deste papel, não concordo com o modelo.

Sou muito emotiva, a calma tarda em chegar, só vem depois da ira passar.

;)

Ana GG disse...

Dylan

Não entrei por esse campo porque aí sim, há razões de sobra para se sentir na pele o que é a injustiça.

Quanto aos palavrões...que queres, está-me na massa do sangue. Mas não é assim nada de muito grave! Será!?
Volta sempre e fecha os olhos quando te deparares com um "palavrão", Diácono Remédios.

;P

LBJ disse...

Impressionou-me muito este teu desabafo e se não te conhecesse já, ficaria a ter por ti uma profunda admiração...

é realmene pena que se tente tapar o Sol com uma peneira, sinto por vezes um dasalento enorme que este País cada vez se atrasa mais e esta forma de preparar as próximas gerações tentando cuspir para o lado enfim... Sabes aquela máxima do Português que diz que se tens a quem atribui a culpa dos teus problemas não tens problema nenhum... :(

Como sei que não acreditas em bruxas mas que sabes que as há a palavra que o sistema me manda escrever para publicar este coment é feding... :)

Ana GG disse...

rose

Fizeste muito bem em estrear a tua raiva num comentário.

Sei que entendes perfeitamente o que estou a dizer.
De ti não esperava outra coisa, solidariedade e sentido de justiça.

Não digo que esta é a pior profissão do mundo, digo apenas que um professor não tem a vida facilitada, nem é o incapaz que muita gente, com quase total desconhecimento, denigre gratuitamente.

Volto a repetir...
Merda para o sistema e badamerda p'ra quem desvaloriza o professor!
(só espero que o Dylan não leia isto)

;)

Ana GG disse...

Catwoman

Muito bem vinda a esta humilde casa!
;)
Pena teres chegado num dia de crise. Isto às vezes é muito mais alegre, acredita.

Se também és professora, sabes ao que me refiro.
Vou tentar ser justa. Não o conseguiria fazer de outra forma.

Ana GG disse...

Lontro

Infelizmente reparei nesse pormenor!

Ana GG disse...

Forte

É que por vezes a injustiça dói-me tanto...foi apenas um desabafo.
Felizmente tenho as costas largas.

Já passou! Estou calma.

:)

Ana GG disse...

LBJ

Tu já tiveste oportunidade de me conhecer, penso que conseguiste descobrir um bocadinho da fibra com que sou feita. Não sou mulher de conter indignações.

"Estamos" de facto a tentar tapar o Sol com a peneira prejudicando todos aqueles que estão envolvidos neste processo.

Não acredito em bruxas, não!
Escreve as letras e não refiles!
Também vou escrever "hiesses".

AHAHAHAHAHAH


obrigada pela visita!

pessoal que gosta de estar a par destas andanças

facebokiANOS a par desta coisa