3 de abril de 2010

ora vamos lá falar de um assunto polémico…

TATUAGENS (piercings, túneis e afins)

Se fossem pais de adolescentes já para o crescidote, até que ponto deixavam que os vossos filhos se "enfeitassem" com estas manifestações tribais?

Aconselhavam, ou proibiam?

Faz-vos confusão verem um jovem marcado por estes artefactos?

Um jovem limpinho de "riscos e furos" é mais atinadinho, melhor pessoa, menos bandido? Mais amigo das plantas e dos animais?

Se vos entrar um puto destes no local de trabalho, torcem o nariz e temem que vos roube a caixa dos clips?

Acham que os pais que permitem estes devaneios têm menos juízo que os filhos?

POISSSSSSS……….

A prenda de anos que o meu filho tem escolhido de há 3 anos a esta parte, tem sido, invariavelmente, mais riscos nos braços.

Se me faz confusão? Admito que alguma.

Se sou contra ou a favor? Não me pronuncio.

Se gosto? Para que é que isso interessa, se ele é que tem de gostar.

Se me assusta imaginá-lo um adulto arrependido das marcas que fez no corpo? Nem por isso, nessa altura, as "borrachas" para o corpo já são mais baratinhas e o problema é dele.

Se detesto preconceitos? Detesto!

Se me incomoda sentir os olhares de lado, os comentários entre dentes e os rótulos que lhe impõem logo à partida sem o conhecerem? Nem por isso, até acho graça…tadinhos!


Desta vez foram umas riscas, tipo pulseiras que se usam diariamente sem ter que abrir a caixa das jóias e, o nome da avó que adora, no pulso (quem diria à primeira vista que este "bandido perigoso" é um sentimentalão).

Tenho pena de vos desiludir,

mas nós por cá somos assim,

um BOCADINHO diferentes, coisa pouca!


*tenho a leve sensação de que é desta que perco a clientela toda, porque será!?


33 comentários:

Gingerbread Girl disse...

Ma chére...

Então a modos que é assim...

Eu pinto o cabelo de vermelho. Não é ruivo,a tenção. É vermelho mesmo. Às vezes não meto a quantidade certa de oxidante, às vezes fica alaranjado, outras acobreado, wtv.

Tenho um pirecing no nariz... há dois anos andava com uma argola, depois mudei para uma bolinha de prata... e há duas semanas fiquei sem piercing porque o perdi pela milésima vez e pensei "Fºda-se! Não me chateio mais com isto!". Também tenho um na orelha em cima, e tenciono fazer mais dois furos ao lado este Verão. Além disso tenho 3 furos de um lado e 2 do outro.

E para não falar só de mim... o meu marido tem uma tatuagem no braço... e tem um piercing no sobrolho e uma argola em cada orelha. Umas argolas a puxar para o grosso (nada de brilhantes pirosos à Cristiano Ronaldo, que lhe dá uma pinta de bad ass que eu ADORO.

A minha catraia perguntou-me se um dia podia pintar o cabelo de cor-de-rosa... "claro que podes!" E se for azul? "Claro que podes!", E se for lilás? "Claro que podes!"

O meu catraio perguntou-me se podia pintar o dele de verde. "Claro que podes!".

Podem tudo... quando tiverem idade para isso, podem tudo. (tendo em conta que ainda só têm 6 e 10 anos).

Opá, muito sinceramente, prefiro isso que o estilo betinho. Apareçam-me lá com umas calças de caqui, uns sapatinhos de vela sem meias, uma camisa e um polo atado ao pescoço, que corro com eles à vassourada!!

Destoamos um bocado nas reuniões de pais... mas que se lixe! :D

Ana GG disse...

Porque será que assim de repente, fiquei a gostar ainda mais de ti!?

É mesmo assim. Cada um é livre de manifestar a sua individualidade.

Também sou uma mãe um "tudo nada" diferente, na filosofia de vida.

Porque será que nunca gostei de rebanhos....
;)

Pulha Garcia disse...

Acho que cada um tem mais é que ser feliz. Questão diversa é saber se ele daqui a uns anos não se arrepende, ou mesmo se "o modo de estar" de quem tem tatuagens tão novo não estará associado a um certo modo de vida associado a riscos e desorientação. Claro que cada caso é um caso e ter tatuagens por si só não é conclusivo de nada. Importante mesmo é os canais de diálogo estarem bem abertos.

Boa Páscoa.


Ps- Em circunstâncias normais nesta altura do ano estaria no Algarve...

Ana GG disse...

Pulha

Diria antes que cada um tem mais é que "tentar ser feliz", porque ser inteiramente feliz não é coisa fácil.

Provavelmente daqui a uns anos arrepende-se, disso tenho quase a certeza. Mas será um registo da história dele. Já não me assusta assim tanto, aprendi a encarar de outra forma. As tatuagens já não são tão assustadoramente definitivas como eram.

Quanto à idade(faz 19 este mês), penso que está precisamente na idade de ter a coragem e a vontade para fazer estas maluqueiras. Poderá estar associado à tal desorientação de que falas, creio mesmo que em parte está. Mas penso que se fosse muito orientado, faria o mesmo, este seu modo de vida está também associado à sua maneira de ser. Sempre foi um pouco diferente da maioria dos colegas.

Acho que em parte esta foi uma herança genética, já a minha mãe dizia o mesmo, sempre fui um pouquinho mais original que a maioria das minhas colegas.

É tudo tão relativo...

De uma coisa tenho a certeza, a "embalagem" exterior não espelha necessariamente aquilo que somos enquanto pessoas. Não sei se me estou a fazer explicar, por um lado tenho preguiça e por outro, seria uma conversa que dava pano para mangas.

Quando melhorares e voltares às lides da sacanagem, vai ao "Cloque", mesmo por cima da falésia, junto ao parque da rotunda das fontes, na Praia da Rocha. Vale a pena pena paz e pela vista (também por uma tela pintada com rostos e gatos). Esteve fechado quase 20 anos, reabriu este ano e eu não tinha dado por isso.

Ana GG disse...

*pela e não pena

:))))

Dylan disse...

Visualmente não aprecio muito tatuagens, mas se essas forem discretas e significarem bastante para o tatuado, porque não?

Bea disse...

http://beatrizmadureira.blogspot.com/2010/04/pascoa.html
Boas amêndoas!

Vitor disse...

Ana, para que conste e fique registado em acta ;-),sou colaborador de um bar em vila Franca (Vary Nice)desde os vinte e três anos(controlo as entradas),vou fazer cinquenta e um e Maio, faz as contas. Quase três décadas. Passe a redundância os “putos” tratam-me por cima do “zinco”,e sabes porquê? Adapto-me às novas realidades. Tanto me faz que venham pintados de amarelo, ou com argolas enfiadas no nariz, tipo quadrúpedes da beira…desde que se portem bem…e acredita que são estes que são mesmos fixes…os que vêm de apêndice pendurada ao pescoço, ou de sapatinho de matar as baratas ao canto da casa, são os que me f@dem o juízo…as tatuagens não são sinónimo de coisa alguma, são isso mesmo, pinturas!Tenho uma filha com vinte e dois anos que vai fazer uma...e acredita ,é a melhor filha do mundo.
Por mim, continuo teu freguês.

Feliz Páscoa

Beijinho

Storyteller disse...

Tatuagens não são comigo, mas é no meu corpo. No corpo dos outros... cada um sabe de si. Tenho as orelhas furadas «como mandam as regras» mas por opção. Isto é, não sou grande fã de acessórios e ter vários furos no corpo implicaria ter uma catrefada de acessórios. Resumindo, é preguiça mesmo!

De resto, às vezes mudo a cor do cabelo para laranja. Não ruivo, laranja mesmo. E depois apetece-me voltar ao chocolate e lá volto eu!

Ando sempre maquilhada e de salto alto. Sou chateada por isso. E também por não usar blusas «à senhora». Não gosto de botões, por isso não uso blusas nem casaquinhos de malha.

Uso muitos decotes. Alguns profundos. Outros nem por isso. E garanto-te que sou olhada de lado no pátio do colégio por causa deles.

Gosto de cores fortes, sólidas. Gosto de vestir vermelho quando, supostamente, deveria vestir preto.

Gosto de deixar os meus filhos vestirem-se como querem (já basta terem de andar de farda durante a semana no colégio).

Gosto de fazer terérés no meu cabelo e no da minha filha (para horror dos meus pais).

Não me importo que eles andem com aquelas tatuagens a fingir. São demasiado novos para fazerem outro tipo de tatuagens (têm 8 e 5 anos, as minhas criancinhas); no entanto, quando tiverem idade para decidirem sozinhos, se quiserem fazer uma (ou várias) tatuagem, estão à vontade para fazê-la (não sei é se o pai será da mesma opinião que eu, mas isso é lá com ele).

Todos os estereótipos, preconceitos e pequenez de espírito tiram-me do sério.

catwoman disse...

Pessoalmente sou um bocado contra agulhas, por isso nem pensar em tatuagens, piercings e coisas do género. Os tradicionais furos nas orelhas tenho mas ninguém me pediu opinião. Umas vezes andam com uns pendricalhos, outras nem por isso.
Agora, se os outros fazem ou não, é assunto que não me incomoda, confesso que não gosto muito de ver aquelas pessoas com tantas tatuagens que quase nem conhecemos o tom de pele, mas é uma questão de gosto, não de pensar que eles são o próximo assaltante de bancos que vai aparecer nos noticiários.
Devo confessar-te uma coisa: aqui há uns anos dei uma s aulas de formação a adultos e logo na 1ª aula apareceu-me um trintão, assim a dar para o malandrão com tatuagens nos braços e no pescoço, penteado à malandro e eu, que nunca me considerei preconceituosa,pensei para comigo, "vamos lá ver se não tenho que apertar com este!" e o tempo foi passando, revelou-se um dos meus melhores formandos, ficou um amigo e ajudava-me a manter a ordem, na sala, sei que lá fora tinha tido alguns problemas com a lei, mas quando conversávamos extra-aula preferia concentrar-me na forma como falava dos filhos e da mulher. Quem me dera alguma vez ter sentido esse carinho. Acho que já respondi.
Já agora repondendo ao que me respondeste no outro post, por acaso querem oferecer-me um bilhete para um concerto este mês, mas ainda não sei se posso, agora não precisavas de te amofinar molher: eu tinha estado 2h a passar a ferro que é 10vezes pior que ter piercings ou tatuagens, essa saim é uma acticidade com a qual sou preconceituosa. Bjs. :)

Pulha Garcia disse...

Ana, ma dear,

e quem te disse a ti que eu não conheço o cloque? É verdade que ainda não fui lá desde que foi renovado mas olha que estive lá muitas vezes ... mesmo quando estava em ruínas.

Boa páscoa e aproveita o "nosso" Algarve

Ana GG disse...

Dylan

A questão não era se gostavas ou não, mas sim até que ponto aceitarias a decisão de ser um filho teu a fazê-las. A questão era basicamente o preconceito, ou não, acerca das ditas cujas.

Discretinhas...tssssss, tssssss, tssssss...o tatuado não as faz por descrição.

Ana GG disse...

Bea

Obrigada!
Boa Páscoa para ti também!

Ana GG disse...

Vitor

Calculei que fosses assim, um "open mind".

Bolas, isso é que é amor ao barengo!

Claro que os filhos não se medem pelos riscos no corpo.
:)

Ana GG disse...

Story

Estou mesmo a imaginar-te, de salto agulha, e decotões vermelho sangue...ó mulher fogosa!!!!!!
;D

Eu também raramente uso camisinhas à senhora, mas não é por causa dos botões, é mesmo por causa de ter que as passar a ferro (fujo do ferro de engomar como o diabo da cruz).

Haja o direito à diferença!

Ana GG disse...

Cat

Definitivamente, as tatuagens não têm nada a ver com o interior de cada um, são apenas adereços, enfeites da embalagem.

Não me amofinei, achas!?
Estou tão farta de ouvir essas tretas dos professores quase milionários, que já não ligo (muito).

Vai ao concerto mulher!
Vive!
Vibra!
Canta!
Dança!
;)

Ana GG disse...

Sacana

Caramba, jovem!!!!!!
Será que não consigo ensinar-lhe nada!?

Ca nervos!
;)

Pronúncia disse...

Marimbo-me para a embalagem, interessa-me é o conteúdo... eu própria já pensei em fazer uma tatuagem, mas daquelas muito discretinhas... descobri que aquilo metia agulhas e que era demasiado "para sempre" para o meu gosto... desisti!

:)

catwoman disse...

Bjks e aproveita as férias, a mim para variar, surgiram-me uns problemas que já estou a ver a dança por um canudo, gaita. Mas como sou nhurra mesmo, senão for ao concerto hei-de divertir-me na mesma.
PS.Sabes que só brinco com os profs, sei bem o que se passa no meio, por isso gosto de "picar2 um bocadito, quem sabe um dia não dou uma de masoquista e não volto. tenho andado a dar tantas voltas...

Ana GG disse...

Pron, ma woman
Quem diria!?

Por acaso nunca me ocorreu fazer uma, e não é pelas agulhas, é msmo porque prefiro "apetrechos" mais descartáveis.

Ana GG disse...

Cat
É preciso é ser persistente, não desistas!
Afinal o que são uns probleminhas nos dias que correm?

Tu és prof? Foste prof? Conta tudo!
;)

LBJ disse...

Não me parece que perdes este cliente e tu sabes porquê ;) Dá um abraço por mim ao môço das riscas.

Bêjos

Ana GG disse...

LBJ

Ainda bem que não perco, não quero ter de fechar o tasco por falta de clientela.
Sei porquê!?

Eu dou o abraço ao riscado, obrigada!

bêjos

rose disse...

Proibir?

Tenho para a troca.

Detesto.Tem a ver com a pele que deve transparecer luz ,gotinhas de água,sossego ,caso possa.Fica às escuras,nem as cores a salvam.Pele amputada,desnorteada,agressiva...Ai se eu tivesse podido!!!Proibia pois...e fiquei a fazer parte da paisagem ...

Ana GG disse...

rose

Pele é pele, seja de que cor.
Uma pele negra não transparece menos paz.
Uns furos nas orelhas não serão uma pequenina amputação também?

A paz e a luz, vêm de dentro, não se amputam com uns riscos na pele. Acho eu...não será?

(ficaste a fazer parte da paisagem. explica-me essa frase como se tivesse 3 anos)

rose disse...

Definitivamente,, sem qualquer linguagem gótica,não gosto de tatuagens nem em pele negra,nem branca nem amarela...perde-se o acetinado.Acho que é também uma questão de estética,o reflectir da luz.Não tem nada a ver com interiores,apenas e só com exteriores(longe de mim avaliar ...)Quando me vejo no braço do P.,foge-me o olhar para bem longe e fico muito mal disposta.Ele ri-se e provoca-me,dizendo que ainda falta o Amor de Mãe...um corpo lindissimo,uma pena...

Ana GG disse...

rose

Eu também não sou uma adepta fervorosa, gosto de algumas, de outras não. Mas não me incomodam.
A questão que coloquei tinha apenas a ver com o preconceito e não com a estética.

Se te faz essa impressão toda, deve ser horrível.
Tenta ver o lado engraçado da coisa, olha que "Amor de mãe" tinha muita piada.
Não é nada uma pena, o corpo continua intacto...lindíssimo!

JRocha disse...

Ahah...gostei! É a primeira vez que comento. Quanto a isso, vejo na sua atitude a do meu pai, visto que eu é que sou a "rufia tatuada e furada" lol. Tenho três tatuagens que significam muito para mim, e uma argola no nariz e já tive um piercing no sobrolho.
Fiz a primeira com 18 anos, para desgraça da minha mãe ;P, que sempre teve o receio que eu, a sua única menina fosse influenciada pelos irmãos ( o que aconteceu inevitavelmente, somos muito unidos). O meu próprio pai tem umas quantas tatuagens, por isso foi mais receptivo e compreendeu. E entendo onde quer chegar com os olhares que incomodam...imagine eu, o meu irmão mais velho,tatuados, com furos, ele de moicano às compras no supermercado com a mãe: desde olhares de fugida até criancinhas curiosas e expansivas nos comentários. =)

Gostei do blog

JR

Ana GG disse...

JRocha

Não faço ideia de como cá chegaste...mas és muito bem-vinda.

O meu filho fez os primeiros "buracos" e a 1ª tatuagem (discreta) com 15 anos.

Se queres que te diga nem sei se fiz bem ou mal em ter permitido, o certo é que agora o meu filho já tem 19 anos e ia fazê-las de qualquer forma. O corpo é osso, não nos pertence. Depois...depois logo se verá.

Os olhares até têm piada. Ainda somos um povinho de preconceitos.

Ainda bem que gostaste do olhARES (ultimamente tem andado muito paradinho por falta de tempo e de inspiração).

Volta sempre!

meldevespas disse...

poizolha Ana, eu nao gosto de nada dessas coisas...em fim of course, nos outros, realmente e-me totalmente indiferente. Nao consigo achar piada na equaçao de dor necessaria para essas coisas. Mas isso sou eu. A minha filha destoa de todo o mundo aqui neste fim de mundo, tem o cabelo vermelho, outras vezes rosa choque, e nao escapa ao epiteto de "cabeça de fosforo", eu acho que ela fica o maximo ;DD, o meu sobrinho/afilhado, com 23 anos, tem tatuagens pelo corpo todo, desde o nome da mae, ``as fotografias dos irmaos, tem alargadores nas orelhas piercings por todo o lado, e um estilo que me faz babar (de gosto)cada vez que o vejo. Ja me habituei ha muito tempo a nao julgar ninguem pelo involucro...isso ´´e perigoso.
Beijos

Ana GG disse...

meldevespas

A mim a "coisa" não me aquece nem me arrefece. Admito que quando o pessoal começa a ficar com as peles caídas, as tatuagens ficam assim para o degradante...de resto, é uma opção como qualquer outra.

Agora julgar pela embalagem...tssss, tssss, tsssss, ó gentinha pequenina.

A tua "cabeça de fósforo" faz muito bem em incendiar-se assim, se é o que lhe apetece. Haja "fogo" enquanto ainda estamos com vontade de labaredas!
beijos para ti

joana seixas da silva disse...

Boa noite, li o seu texto através dos comentários de um texto de José Luis Peixoto e adorei ler o texto em que poderia ter sido perfeitamente escrito pela minha mãe. Então é o seguinte sou uma mulher com 29 anos tenho o braço parcialmente tatuado tenho 3 pircing´s e sou periodicamente descriminada pois comigo é o seguinte é que lido com pessoas que têm uma mentalidade materialista e preconceituosa, tenho a minha empresa desde que me licenciei com 23 anos, uma empresa de sucesso que me levou a trabalhar de noite e dia durante estes 6 anos, desde que abri o meu negocio me tornei uma pessoa totalmente independente financeira e mentalmente. Já fui descriminada em bancos, supermercados, consultórios, taxis inclusive quando quis comprar o meu próprio carro com o dinheiro do meu trabalho a vendedora ignorou-me pensou que nunca teria capacidade para o comprar..mas comprei! Sou regularmente seguida por segurança em lojas e nunca tive coragem de roubar, detesto drogas faço doações mensais para os sem abrigo da zona centro. Não admito que me descriminem, que desconfiem de mim e das minhas capacidades apenas porque tive coragem de pintar no meu corpo permanentemente tudo que passei literalmente na pele, um dia se me arrepender arranjarei uma solução, mas solução para apagar coisas realmente importantes como ter descriminado alguém, nunca ter sido solidário, tratar mal os animais, ser-mos egoístas isso não há nem vai haver laser que apague!

Ana GG disse...

Joana Seixas

O teu comentário deixou-me muito contente.

É precisamente o que dizes, nem mais...uma coisa não tem nada a ver com a outra. As tatuagens e piercings não são mais do que expressões, não traduzem o carácter, não alteram o carácter...são "enfeites" do corpo, apenas.

Força, Joana, continua a ser como és!


obrigada pela visita!

pessoal que gosta de estar a par destas andanças

facebokiANOS a par desta coisa