18 de dezembro de 2009

estórias de Natais e de outras coisas mais

Para a Fábrica de Letras...para todos aqueles que já fazem parte da mobília e como não podia deixar de ser, também para aqueles que cá vêm por engano!

Há muito, muito tempo, quando ainda tinha tranças pretas e caçava borboletas no jardim… costumava, talvez por achar que era muito importante mostrar ao Diogo que a época era de alegria, esmerar-me nas decorações Natalícias.

Pois bem, num desses anos de delírios Natalícios, resolvi fazer uns embrulhos ainda mais originais que de costume.

Meti literalmente as mãos na massa e amassei, com a minha santa paciência e muita força de braços, uma mistura de farinha, água e sal. Estendi-a com o saudoso rolo da massa e modelei uma ENORME quantidade (sim! enorme! porque eu oferecia presentes a quase tudo o que mexia) de estrelas, árvores, bonecos, etc, etc…e ainda etc.

Cozi aquelas obras-primas no forno e, pela calada da noite pintei-as uma a uma e vá de embrulhar e decorar presentes com as minhas bolachas de água e sal.

Aproveitei a onda e carreguei o calendário de Natal com os habituais chupa-chupas coloridos em cada um dos dias

Não é para me gabar, mas valeu a pena o esforço…FICOU LINDO!

De manhã, o rebento JUBILOU de alegria!

Apercebi-me ao final do dia que o meu (já desaparecido) cão, também jubilou de alegria, ou gula, como lhe queiram chamar.

Nota da autora: Achei que o verbo jubilar ficaria sempre bem nesta altura do ano.

Depois de um dia atarefado fora de casa, no cumprimento das obrigações de mãe trabalhadora. Finalmente de regresso ao lar, doce lar, com um filho, desejoso de comer o chupa-chupa diário do calendário de Natal, deparei-me com um cenário desolador e com um cão de beiças coloridas, excitado de tanta emoção e alegria.

Os meus presentes tinham sido praticamente trucidados!

Com a ânsia de papar as bolachinhas coloridas, o "desaparecido" Becas (nome idiota escolhido pelo filho, na altura com 5 anos), rasgou os papeis, e na sua falta de jeito de cão, comeu também os cantos às caixas de perfumes, de brinquedos e de tudo o resto que estava acondicionado em embalagens. Aproveitou ainda o embalo e comeu TODOS os chupa-chupas, deixando um montinho muito alinhadinho, com as "cascas" coloridas e os pauzinhos de plástico.

Depois do choque inicial, em que lhe chamei todos os nomes passíveis de ofender um canídeo...

Depois de acalmar um filho em choro compulsivo, devastado pela sua primeira grande desilusão e sentimento de perda…

RI-ME até não poder mais, agarrada ao cão, que na sua ingenuidade ficou sem perceber se afinal tinha feito asneira da grossa ou uma graçola do melhor.

Nesse Natal, em que ainda tinha tranças pretas e caçava borboletas, os amigos e familiares, receberam prendas em embalagens "ratadas" e com embrulhos normalíssimos de quem já não teve paciência para mais… como não podia deixar de ser, acrescentei os cumprimentos do Becas!

14 comentários:

LBJ disse...

Só tu para me fazeres rir com histórias de Natal este ano... :D

Beijos miúda, um grande abraço ao Diogo

Ana GG disse...

LBJ

A minha animalagem tem sempre uns episódios engraçados (bem, acho que toda a animalagem, não só a minha).
Se te fiz rir, fico contente!

beijos miúdo, um grande abraço a quem quiseres dar

:D

18 Dezembro, 2009 19:50

Pronúncia disse...

Ana, é a história de natal mais divertida que já li. Obrigada por partilhares, é hilariante...

E o Becas não apanhou uma digestão valente?! Ou pelo menos uma diarreia daquelas, não?! :D

Dylan disse...

Grande Becas, espírito rebelde como eu!

Sou tarado por tranças pretas!

Ana GG disse...

Pronúncia

O Becas era resistente como o raio. Era g'anda maluco aquele cão. As peripécias dele quase davam para escrever um livro.
:D

Ana GG disse...

Dylan

Calculei logo que tivessem muito em comum.
AHAHAHAHAH

Eu é mais por borboletas!
;)

rose disse...

Isto de fazer rir não é para todos...

Gargalhei à farta!

Agradecida a ti e ao Becas :D

Ana GG disse...

rose
Isto de conseguir rir, facilmente, não é para todos...

Pela parte que me toca, "agradeço os agradecimentos". Quanto ao Becas, pode ser que te ouça no céu dos cães.

:D

Saltapocinhas disse...

Já não sei como vim aqui parar, mas gostei bastante e (isto é uma ameaça!)... vou voltar!

E adorei a história de natal do becas!

Luis Bento disse...

Tenho uma cadela que tb já foi assim destravada...agora está velhota. Ri-me com o teu texto. E fiquei agradado com a forma como deste a volta à situação perante o choque inicial da travessura no final de um dia de trabalho...

Ana GG disse...

Saltapocinhas

Provavelmente vieste cá parar ao saltar uma pocinha!
;)
Ainda bem que vieste porque gosto de receber visitantes novos.
Não penses que me assustas com a tua ameaça...humpf...

Bem vinda ao olhARES!

Ainda bem que gostaste das peripécias do Becas.

Ana GG disse...

Luis Bento

Bem vindo à "casa"!

Deve ser sina minha, passarem-me pelas mão cães destravados. Quando ficam velhotes sentimos saudades das asneiras que deixaram de fazer (não é?).

Acho que não tinha outra volta a dar, para grandes males grandes remédios!
:D

Brown Eyes disse...

Fora do vulgar esta tua história de Natal. Os animais tiram-nos do sério com as traquinices mas, no fim, temos mesmo que rir com as suas inocências.
Beijinhos e Feliz Natal

Ana GG disse...

Brown Eyes

Muito bem vinda a este humilde tasco! ;)

Os animais, por vezes, são um ponto!

Obrigada e umas Festas Felizes também para ti!

Beijinhos


obrigada pela visita!

pessoal que gosta de estar a par destas andanças

facebokiANOS a par desta coisa